Entrevista com os cariocas do Moshe!

By on 22/06/2015

Hoje trazemos uma entrevista super bacana com os garotos do Moshe pra vocês, onde contam como surgiu o projeto, as ambições da dupla e as novidades que vem por aí!

Moshe, um projeto criado por Luiz Guilherme Cardoso (18) e Pedro Henrique Cardoso (24), são cariocas da Gávea, no Rio. Começaram a produzir em 2013, despontando e chamando atenção de alguns veículos nacionais, como a We Rave You com uma de suas tracks, apadrinhada por ninguém menos que Marcelo CIC, e com colaborações tocadas na Tomorrowland Brasil, os irmãos integram essa dupla bastante talentosa, erradicada no Melbourne Bounce e que ainda tem uma promissora carreira pela frente, certamente um dos nomes para os fãs da música eletrônica ficarem de olho! Confira a entrevista!

Quando começaram com o projeto “Moshe”? De onde surgiu esse nome?

Então, a gente começou com essa historia de interesse por musica eletrônica em 2012, o Moshe veio em Abril de 2013, que foi quando resolvemos levar a brincadeira mais a serio e começamos a aprender a produzir as nossas próprias músicas. Moshe é o nome do nosso Golden Retriever e por ser algo em comum nosso, resolvemos homenageá-lo!

Emendando nessa parte de produção, fizeram algum curso pra começar a produzir ou aprenderam por conta própria?

Começamos por conta própria, vendo videos no youtube e olhando fóruns pela internet. Depois de 1 ano mais ou menos compramos os cursos online do Felippe Senne que logo em seguida se transformaram na Make Music Now, que somos alunos ate hoje. Foi o único curso de produção mesmo que fizemos!

Quais as inspirações de vocês?

Nossas inspirações sempre foram muito parecidas, especialmente quando se trata de música eletrônica porque começamos a se interessar ao mesmo tempo. Nós nos espelhamos muito no Felguk, por serem brasileiros e terem alcançado tamanho sucesso na carreira, além de serem uma dupla também. Tivemos o prazer de conhecê-los pessoalmente e como eles sempre nos trataram super bem, acabamos idolatrando eles ainda mais. Outros brasileiros que nós gostamos muito são o Marcelo CIC, Johnny Glövez, FTampa e W.A.O. Esses são alguns dos brasileiros que vem levando a nossa música eletrônica para fora e fazendo um trabalho que a gente curte bastante. Inclusive tivemos a oportunidade de fazer sessões de estúdio com o CIC e o Johnny e aprendemos muito com eles! Também nos inspiramos muito no Felippe Senne, que é um grande professor, já nos ajudou e continua nos ajudando muito. O cara sabe tudo! Os gringos que a gente se inspira são muitos, mas listando basicamente os favoritos são: Knife Party, Skrillex, Deorro, Dyro, Will Sparks e Zedd. Curtimos praticamente todo o tipo de música, fica difícil de citar todos.
De outros gêneros, o Pedro gosta muito de Punk Rock, por ser baterista desde pequeno. Bandas como The Offsprings, Green Day, Blink 182, Foo Figthers. Eu sempre gostei de bandas como Beatles, Red Hot Chilli Peppers, System Of A Down…

Vocês vão se focar em que gênero efetivamente? Ou vão ser flexíveis como hoje o mercado da música tem sido. com as constantes inovações de figurinhas carimbadas, migrando de um gênero pro outro?

Nós focamos hoje em dia no Melbourne Bounce. Já estamos há mais ou menos um ano fazendo as músicas dentro dele. Gostamos muito de Electro House em geral, então algumas de nossas produções foram focadas em outros estilos fora do Bounce, mas a maioria fica por ali mesmo. Ultimamente estamos procurando achar e colocar uma “identidade” nossa dentro das músicas, pois assim em qualquer estilo você consegue colocar um pouco da sua sonoridade e continua sendo facilmente identificável como um trabalho seu.

Reparei no facebook de vocês muitas fotos em estúdio, e muitas delas com uma galera aí como vocês citaram como o CIC, Felguk e por aí vai. Foram basicamente workshops ou tem alguma collab vindo por aí?

Com o CIC começamos uma collab, que inclusive foi a primeira música do seu set na Tomorrowland. Mas ela ainda não ta 100% pronta para lançar, estamos dando os últimos toques para finaliza-la. Com o Johnny ainda estamos trabalhando em uma música juntos. Com a galera do Felguk foi só uma “aula” mesmo, sempre pegamos varias dicas com eles e trocamos informações!

Quanto a cena eletrônica nacional, o que vocês acham desse momento onde temos tantos brasileiros em exposição no mundo? E ainda do reconhecimento em solo canarinho, onde os brasucas tem sido cada vez mais reconhecidos pelos compatriotas, coisa difícil de se pensar a algum tempo atrás, onde a música eletrônica não tinha tantos adeptos, e se tinha, a cena nacional tinha poucos fãs? Vocês acham esse ambiente favorável pra quem tá começando? Ou talvez joguem uma pressão pra galera nova pra manter o padrão de qualidade?

Achamos que o Brasil vive um momento incrível dentro da música eletrônica. Temos muitos brasileiros se destacando e muita gente começando (como nós). É uma questão de tempo para que muitos talentos despontem tanto aqui como lá fora! De fato ha um tempo atrás não se tinham tantos fãs brasileiros para música eletrônica, mas isso não era um problema apenas do Brasil. Ultimamente a música eletrônica ficou enorme no mundo todo, e consequentemente aqui também, o que é ótimo pois temos muitos interessados hoje em dia!
O ambiente é muito favorável, o Brasil é enorme! Temos muitos clubes e festas por aqui, tem espaço pra muita gente nova, só precisa se dedicar! Acho que essa pressão é algo saudável, exatamente porque força a se manter dentro de um nível de qualidade e melhorar cada vez mais.

Já entrevistei muita gente de dentro e fora do país e todos falam sobre foco e metas. Pra vocês, qual a importância de se saber onde querem chegar? E quais são as metas de vocês, seja a curto ou a longo prazo?

Foco e metas são importantíssimos para qualquer empreendimento, não só para carreiras artísticas. A importância de saber aonde você quer chegar é que você cria uma direção, e a partir dessa direção você cria as suas metas. Nossas metas atuais são elevar cada vez mais o nível das nossas produções e com elas nos destacar principalmente pelo cenário nacional. A longo prazo, pode parecer meio clichê, mas como todo mundo é lançarmos as nossas músicas por grandes gravadoras e ter elas tocadas pelos grandes DJ’s!

Qual track vocês tem como “favorita de todos os tempos” e qual a que mais ouvem no momento?

Essa é difícil hein! Temos muitas músicas favoritas! Acho que se tivéssemos que escolher uma de todos os tempos seria a “Holdin’ On (Skrillex & Nero Remix)”.
Atualmente a que mais escutamos é a “Jack It Up” do Dyro com o Loopers.

Se pudessem tocar em qualquer festa, club ou festival do mundo, qual seria?

Outra pergunta difícil, pois sonhamos em tocar pelo mundo inteiro em muitos clubes e festivais, mas como tem quer ser um, seria o EDC. Ja viu o palco deles e a quantidade de pessoas que vão no festival? É colossal!

O que podemos esperar do Moshe pra esse segundo semestre?

Muitas novidades! Temos muitas músicas prontas e muitas quase prontas para serem lançadas! Cada semestre acontece tantas coisas incríveis que nem nós mesmos sabemos o que esperar! Fiquem de olho!

Que dicas tem pra galera que tá começando agora?

A melhor dica é se dedicar ao máximo…
Largamos tudo para seguir nesse sonho, ficamos o dia inteiro produzindo ou fazendo coisas relacionadas a carreira do Moshe. Lógico que não é todo mundo que pode largar tudo, mas precisa se dedicar o maior tempo possível para isso. O que mais vemos em entrevistas de grandes produtores é que eles ficavam horas e horas por dia produzindo, e se você quer competir com eles tem que se esforçar o tanto quanto. Aprender sozinho é possível mas gasta muito tempo, então para galera que tá começando a gente recomenda muito que faça algum tipo de curso, e como já citamos aqui a Make Music Now é um ótimo começo. Lá tem do iniciante até o avançado e tudo em português, vai poupar muito tempo de aprendizado sozinho. Como a gente costuma dizer, tempo é o bem mais precioso, então não o desperdice!

 

Quer conhecer mais do trabalho dos caras?

Acesse o Soundcloud do Moshe e confira mais! Além de lá, confira o Facebook deles, com as tracks do soundcloud pra download na faixa! E acabaram de disponibilizar um pack com uma série de mashups pra download gratuito, que você pode fazer o download nesse link aqui!

 

 

Gregory Silva

About Gregory Silva

22. Manézinho da Ilha radicado na selva de pedra paulistana, apaixonado por música eletrônica, vivendo a procura do drop perfeito!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *